Escola de Maternidade: será que eu preciso?

O título desse post é algo que venho me perguntando em alguns momentos depois que eu me tornei mãe: será que não tem uma escola de maternidade que ensine todas as coisas que uma pessoa precisa saber ao ter filhos?

Ok, se você é aquela mãe que não teve problemas na gravidez, teve o parto que queria, pós-parto maravilhoso, amamentou sem complicações, seu filho não teve cólicas, você voltou ao peso rapidamente, seu filho come tudo e de tudo, não faz birras, obedece na primeira vez que você fala etc etc etc...pode fechar esse post porque ele não é para você. Parabéns!!! Eu não tenho vontade de te conhecer porque iria me frustrar muito, mas te dou parabéns pelo sucesso de mãe que você é.

Mas se seu caso é o contrário e você percebe que tem vários problemas e situações que não consegue dar conta, bate aqui (#tamojunto), sou dessas!!! E por isso penso que poderia existir uma escola para maternidade, isso seria perfeito!



E quais seriam as disciplinas dessa escola? O que ensinaria no currículo básico? Vamos começar pelo começo (rsrsrs), vou listar algumas ideias e se você tiver outras é só deixar na área dos comentários:

- Como engravidar rapidamente (para as tentantes)

- Como não passar mal durante a gravidez, ter disposição para trabalhar até o fim e fazer sexo

- Como conseguir ter o parto dos sonhos

- Como não se desesperar ao levar o bebê para casa nos primeiros dias

- Como amamentar sem dor e com muito leite

- Como tomar banho, fazer xixi/cocô, comer e dormir com tranquilidade após a maternidade

- Como voltar ao trabalho após a licença maternidade (que sempre é pouco tempo ao meu ver)

- Como conciliar carreira, maternidade, casa, marido e em todos os papéis que a mulher desempenha

- Como lidar com as birras das crianças

- Como fazer as crianças comerem tudo e de tudo

- Como fazer uma adaptação escolar com sucesso

- Como explicar para o filho as inúmeras perguntas que ele faz

- Como lidar com a oscilação de humor dos adolescentes

- E muitas, muitas outras questões que tangem à maternidade.

Enfim, eu queria sim essa escola de maternidade para saber como lidar com várias dessas situações que eu citei e muitas que passei. Queria saber falar a coisa certa, tomar a decisão correta e a atitude que tenha resultado.



Não! Não pense que sou uma mãe fracassada, pois não sou. Tenho orgulho da mãe que venho me tornando, com erros e acertos, mas sempre buscando refletir e fazer o melhor de mim. Mas é claro que em diversas situações me sinto mal, penso que poderia fazer melhor ou que não vou conseguir resolver o problema do meu filho (algumas vezes não conseguimos resolver mesmo e é frustrante).

Estou em uma fase de reflexão e autoavaliação e isso é muito importante. Só assim, conseguiremos fazer mudanças em nós mesmas para sermos as mães que desejamos (ou que podemos ser nesse momento).

Percebo que há coisas da minha criação que ficaram em mim, coisas que não gosto, que não gostei de ouvir. Vejo que às vezes, eu repito a ação ou as duras palavras com meus filhos. É preciso parar, pensar e reprogramar minhas crenças!

Só desse modo poderei construir a minha própria escola da maternidade, com trocas de informações de amigos, leituras interessantes, reflexões internas, psicoterapias indicadas e muitas outras possibilidades que temos de melhorias.




No mercado hoje, tem muitas “escolas de maternidade” que são pessoas que julgam que sabem de tudo, que tem filhos perfeitos e querem ensinar a fórmula mágica para outras mães por um precinho camarada. Cuidado!

Busque sempre ajuda ou orientação com profissional sérios e capacitados para direcionar e melhorar seu relacionamento com seu filho. Não se deixe enganar pelas lindas fotos das redes sociais porque elas são mentirosas. Não há crianças que nunca fizeram birra por algo, isso é fantasia! A birra faz parte do processo de desenvolvimento neurológico e comportamental da criança.

Há sim, crianças que entendem melhor os comandos, que são mais tranquilas, que lidam melhor com as frustrações; do mesmo modo que há famílias que conseguem articular bem o relacionamento com os filhos e demonstrar os limites. Isso tudo pode ser orientado e treinado.

Se você pensa que você está errando e é uma mãe fracassada, pare agora! Busque ajuda, observe como sua família é linda, agradeça todas as conquistas, procure melhorar a cada dia. Suas atitudes só vão mudar se você der o primeiro passo para se conhecer e realizar mudanças internas.



Outro ponto que gostaria de colocar aqui é a oração. Independente da sua crença, ore por seus filhos, ore por sua família. A oração de uma mãe tem uma força impressionante! Ore para acalmar seu coração, ore para dar sabedoria e colocar as palavras certas na sua boca, ore para ter paz no seu lar. Simplesmente ore!!!

Sobre a escola de maternidade, claro que foi uma brincadeira para dizer (e desabafar) tudo que tenho refletido, mas se você concordou que está precisando também é um grande sinal de que precisa repensar sua maternidade ativa.

Conte comigo sempre! Tamo junto! Mães de verdade são assim!

Esse post faz parte de uma Blogagem Coletiva de Blogs Maternos com o tema Realidade Materna. Aproveita para ler todos os posts participantes porque essa é a realidade de todas as mães da vida real.







Beijos e até a próxima!




            Siga nossas redes sociais

Curta nosso Facebook - Mãespecialista

Siga nosso Instagram - @maespecialista

Siga nosso Pinterest - Mãespecialista

3 comentários:

  1. Adorei as matérias da escola! Tenho uma indicação também: "Como responder à pergunta: por que ele pode e eu não?" Pode até não haver essa escola, mas há muitas mães dispostas a trocar experiências por aí. Viva a realidade materna!

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu post
    Ja pensou que chatice seria se tudo desse 100 por cento certo?
    Também ja vivenciei muitas frustrações, noites sem dormir, cansaço, mas também tanta coisa boa!
    A maternidade traz isso, ne? Esta identificação que ajuda tanto com outras mães...
    Adorei sua participação na nossa blogagem coletiva
    Bjks mil

    ResponderExcluir